quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Mais artigos sobre blogs




Encontrei no blog Este blog é minha rua, do Franz Kreuther, vale a leitura.


Antes do advento da Internet havia no mundo dois tipos de pessoas: os que detinham a informação, e por isso transmitiam seu discurso sem interferências nem contestações, e os que simplesmente escutavam. No mundo contemporâneo continua existindo esses dois tipos, porém surgiu uma nova categoria. Assim temos hoje três tipos de indivíduos compondo a sociedade pós-moderna: aqueles que têm algo a dizer e dizem; os que embora não podendo controlar a conversa querem ao menos participar dela e os que, ou por não saber o que dizer ou por não ter como dizer, continuam apenas escutando.

Contudo, a cada dia milhares de pessoas constroem ecosistemas sociais e profissionais baseado em redes de interação online, e se movem nele buscando interpretar suas relações e entender suas tendências. E agindo assim se tornam mais transparentes e mais acessíveis. Esses ecosistemas informativos possibilitam a essas pessoas realizarem descobertas que podem mudar suas vidas, por exemplo: descobrem que tem voz, descobrem que toda pessoa tem o que dizer para outra e que qualquer um pode ser ouvido; descobrem que a comunicação não é uma via de mão única e que o receptor pode se tornar emissor, e vice-versa. Os blogs Antigamente, apenas os jornalistas, os radialistas e comunicadores podiam ocupar o posto do Grilo Falante, ou seja, a consciência falante da comunidade. Era a hegemonia do 4º Poder.

Atualmente, com os blogs, todos descobriram que têm coisas para dizer. Todos querem expressar suas idéias e informar, todos querem opinar sobre tudo. Há milhões e milhões de vozes na Web que buscam ser ouvidas e tocar corações e mentes. Segundo dados do Ibope/NetRatings, “o número de usuários brasileiros que lêem blogs atingiu 10 milhões de pessoas em fevereiro de 2008.(...) Em dezembro do ano passado, eram 9,6 mihões de brasileiros que acessavam blogs". Ainda segundo o NetRatings, o “Brasil manteve sua posição como país com maior tempo médio mensal de navegação residencial por internauta, com 22h24. A lista de países monitorados pelo Nielsen/Netratings inclui Estados Unidos, com 19h52, a França, com 19h40, o Japão, com 18h29 e o Reino Unido, com 17h46”. Esses dados revelam que quando um internauta visita um blog e se depara com uma postagem que o interessa, tende a querer deixar seu comentário. E um dia, mais cedo ou mais tarde, acabará por se tornar um blogueiro.

Mas ser blogueiro não é apenas escrever num blog, é fundamentalmente LER blogs. Isso porque para escrever é necessário antes de tudo gostar de ler. E sabemos que quanto melhor o indivíduo lê, melhor ele escreve. E você, blogueiro amigo, não se iluda, pois aquilo que escreve em seu blog diz muito mais sobre você que seu Currículo Vitae, e pode revelar aspectos de sua personalidade, tais como atenção a detalhes e pormenores, habilidade auto-expressiva e senso crítico, que podem servir de elementos seletivos na hora de concorrer a uma vaga no mercado de trabalho. E qualquer dia, nos currículos enviados às empresas, os candidatos colocarão ao lado do endereço de e-mail (hoje praticamente obrigatório) o endereço de seu blog.

2 comentários:

Franz Kreuther Pereira disse...

Oi, Lenira. Demorei para fazer a visita pois estava muito atarefado. Gostei do seu blog, de sua propostas e de seu conteúdo. E aproveito para agradecer-te por ter me honrado publicando meu texto em seu espaço.
Acabei de fazer uma nova postagem, uma reflexão sobre o compormisso do blogueiro. Confira em http://esteblogminharua.blogspot.com.
Ah, voltarei mais vezes! Abracos

Clarissa Oliveira disse...

Olá!
Os blogs além de servirem para essa troca de experiências, são uma ótima terapia! Nada melhor do que ler,escrever e ainda conhecer gente que compartilha das mesmas idéias ou projetos ou até mesmo para matar o tempo...
O pessoal está levando os blogs cada vez mais a sério e os assuntos estão tendo muito mais conteúdo do que há tempos atrás.
Beijos!